PROMOÇÃO - Magazine Luiza - NÃO PERCA!

Encontre no blog...

29/03/2009

Os "4 C´s" para competir com Criatividade

Os "4 C´s" para competir com Criatividade e Inovação
 

A empregabilidade é hoje a maior preocupação dos profissionais, colocando à prova a competência deles no que diz respeito à melhoria de processos internos, produtos, serviços, operacionais. Todas essas questões exigem do profissional uma das competências mais avaliadas diariamente que é a criatividade e inovação.

Sempre que estou em treinamentos e palestras ouço a mesma coisa: “Como faço para ser mais criativo? Como faço para inovar? Preciso disso para ser mais competitivo”. A demanda é tamanha que acabei escrevendo um livro sobre isso, com o objetivo de fornecer orientações e exercícios de auto-análise, para ativar a criatividade, favorecendo o pensar e o agir criativamente, não eximindo a pessoa da responsabilidade de analisar a realidade. Com isso, aplicando cuidadosamente os conteúdos em funções gerenciais, desenvolvendo equipes e criando mecanismos de desenvolvimento da organização.

Neste artigo, gostaria de tocar os “4 C´s”, que a meu ver, precisam de observação e ajustes constantes:

 

 Criatividade e Inovação Pessoal - Hoje, para obter sucesso é necessário, além do conhecimento técnico, a habilidade para solucionar problemas, lidar com a diversidade; o que implica a utilização da capacidade criativa, sendo pró-ativo e quebrando paradigmas. A destruição mental de tudo que já existe é condição primordial para iniciar o processo criativo.

Criar envolve, em primeiro lugar, um rompimento dos paradigmas pessoais e, em segundo, dos sociais. Muitas vezes o criador acaba boicotando a sua própria criação com medo de ser criticado e não reconhecido. Criar é um ato de coragem, tanto no âmbito pessoal, como no social.

Percebo que o primeiro passo é perceber-se enquanto pessoa e o que realmente gosta de fazer, o que faz bem, o que a alma aplaude e, acima de tudo, o que lhe dá prazer. Esqueça o que está ao lado, aqueles comportamentos padronizados ou até mesmo aquilo que as pessoas gostariam que você fizesse, ou até mesmo fosse. Observe suas principais qualidades e aproprie-se delas. Na empresa em que trabalha tente romper o comportamento mecanicista apresentando idéias de novos produtos, serviços, melhoria do que você já faz, como também do ambiente organizacional.

 

Comunicação Assertiva - Como já dizia o Chacrinha: “Quem não se comunica, se trumbica”. Pois é, muitas vezes deixamos de colocar em ação uma idéia ou desejo por medo de não ser aceito, como também por não saber “vender” a idéia.

O primeiro passo é vender para si próprio. Por exemplo, você deseja mudar de carreira. Cabe a pergunta: já elencou todas as vantagens da mudança? Quais as vantagens e os riscos? Você se convenceu de que é uma boa saída para a sua situação atual? Está amadurecido da decisão e convencido da mudança de emprego ou de profissão?

Se sim vá em frente. Se não, venda acima de tudo para você mesmo e depois para as pessoas que estão ao seu redor. Faça networking e comunique a algumas pessoas a sua decisão. Prepare-se para vender para seu chefe; desenvolva um projeto detalhado, utilize da sua criatividade recursos disponíveis, sempre comparando a situação real e a desejada. Mas seja sempre muito claro, expondo o que pensa, o que sente e como vê e sente esta situação.

 

Cooperação e Comprometimento - Caso você esteja querendo mudar de empresa e isso poderá acarretar resultados tanto para você quanto para as pessoas do seu convívio, compartilhe a decisão, principalmente, se ela afetar diretamente seus familiares, por exemplo. É preciso buscar ajuda. Você poderá obter apoio dos amigos também.

A mesma situação poderá ocorrer se você estiver apresentando uma idéia para seu superior. Uma idéia sem ação é pura ilusão e será preciso buscar parceiros para fazer acontecer. Cada pessoa tem uma inteligência particular e quando se junta a de outras pessoas o resultado é uma criação muito especial. Pense quem pode lhe ajudar a criar algo realmente especial.

 

Coordenação - Não podemos pensar em liderar as pessoas se somos dependentes, se não lideramos a nós mesmos. Reavalie todas as situações em que você está à frente de algo coordenando, decidindo, e seja honesto consigo. Como disse no começo deste texto, analise a realidade. Em que momentos a sua liderança se sobressai?

A clareza de objetivos em relação à sua própria carreira e vida faz com que atinja o que deseja. Fixe metas, prazos e a forma para conquistá-los. O mesmo poderá acontecer quando apresentar uma idéia ao seu superior e ela for aprovada. É a oportunidade para fazer acontecer juntamente com seus parceiros, aqueles já mencionados no item acima. Mas, sem perder de foco que agora é a sua vez de coordenar, que você está consciente das ações necessárias para isso e que se planejou para tal.

Boa sorte na aplicação dos “4 C´s”!

 

Maria Inês Felippe

Fonte: RH.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

Gostou do Post? Então espalhe!

Quem está curtindo...

Encontre no blog...

Gostou? Então espalhe!

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More